Feeds:
Artigos
Comentários

Archive for the ‘Política’ Category

britney-spearsBritney Spears entra no palco em Pequim. Show um tanto vazio para os padrões chineses. Cerca de 15 milhões de fãs vão a loucura com Womanizer, quando, a partir da música seguinte, todos começam a ficar desanimados. Lá pela metade da apresentação surgem as primeiras vaias. E o show é finalmente interrompido por um inspetor chinês, que entra no palco trazendo consigo uma multa de US$439,00 para a diva pop.

Na China, o playback é o inimigo público número um dos espetáculos. O ponto crítico foi  a Olimpíada de Pequim. Descobriu-se que a voz doce garotinha que cantava na abertura dos jogos não era realmente dela. Era pura dublagem. Foi o fim da picada.

O governo chinês considera que o playback “é uma grosseira violação das leis e regras”. Não só afronta os direitos dos consumidores, como também os dos cantores e músicos. Na China pode até não se ter muitos direitos, mas uma coisa que com certeza é garantida aos seus cidadãos é a integridade de suas apresentações. Os musicais, por exemplo, de  acordo com uma lei instituída recentemente, terão que fazer uma gravação, mas só para mandá-la aos censores. O playback é terminantemente proibido.

Essa austeridade toda do governo ditatorial da China é um tanto controversa. Impedir o playback é certamente impor restrições  à ARTE. O que seria de artistas genuinamente brasileiros como Mulher Melancia, MC Créu, Rita Cadillac, Kelly Key e tantos outros se o Brasil tivesse a mesma rigidez contra esse artifício?

Por outro lado, se o governo decretasse leis contra atitudes que considerasse inaceitáveis, poderíamos ter alguns ganhos. Essa, por exemplo: é proibido créu acima da velocidade cinco. A partir de agora, as músicas de axé terão obrigatoriamente que ter consoantes. “Xuxa só para baixinhos” só irá até a décimo volume. É proibido versões em forró de músicas estrangeiras, como se já não bastasse as originais, etc. O mundo é assim: cada um com sua ditadura.

Read Full Post »

rascunho com calor I

marinasilFoi um susto descobrir que aqueles olhos afundados em duas longas e espessas sobrancelhas que apareciam a cada 30 segundos na televisão são da Marina Silva. Digamos que ela seja assim, “natural”, daí o excesso de pêlos e a despreocupação com a beleza que tanto lhe falta. Enfim. A presidenciável não tem os olhinhos azuis da Merckel e nem o botox da Kirshner, então nem sonhemos com uma Bruni para o Brasil.

O fato é que ela parece ser a luz no fim do túnel para a presidência do Brasil e se apresenta como imaculada política. Realmente, seu nome não está envolvido em nenhum desses tão abrangentes casos de corrupção que assolam o país há tempos. Entretanto, omitir-se não é um direito que um representante do povo tem.

Foram aproximadamente 30 anos no PT, ou seja, no período dos maiores escândalos (mensalões, Palocci, cueca e Zé) ela era uma afiliada ativa (Senadora, Ministra) dentro do partido, mas nunca sentiu-se lesada ou mesmo com um pouco de vontade de abandonar os amigos de longa data.

Entretanto, quando já exisitia algum movimento que pedia a candidatura da então Ministra do Meio Ambiente à Presidência e um concomitante choque com a já declarada candidata Dilma, Marina mandou o Partido dos Trabalhadores às favas (filiando-se ao Partido Verde) para transformar-se na Guerreira (com a licença do termo próprio de Roseana) Amazonense que vai salvar o mundo.

Debates e entrevistas virão, resta ter a esperança que Marina Silva vai responder todas as questões referentes ao seu passado. O futuro: a Presidência.

E uma pinça, por favor. (Ou então uma aparador de grama, não se sabe como tá o crescimento dos pelos no restante do corpo.)

Read Full Post »

É 8 a 1

E em mais uma decisão teratológica, o Supremo Tribunal Federal, órgão de cúpula do Judiciário, guardião da Constituição e responsável, em última instância, em dizer o “direito”, entendeu que a profissão de jornalista independe de diploma, haja vista tratar-se de mera atividade intelectual. O presidente do órgão, Gilmar Mendes, chega a comparar um jornalista a um chefe de cozinha que, sem desmerecer a profissão deste último, em nada se assemelha aos profissionais do que já foi intitulado de 4º Poder.

Provavelmente, na cabeça desses “preclaros” ministros, para ser jornalista é desnecessária uma faculdade, ter conhecimento técnico, na verdade, os que atualmente ocupam uma cadeira universitária devem estar brincando de fazer jornalismo, já que um curso superior tornou-se supérfluo tendo em vista que, para ser jornalista, basta pensar, logo, até uma criança, que dispõe de intelecto, pode ser jornalista, assim, brevemente, veremos profissionais competentes que aprenderam sua profissão na teoria e na prática, serem substituídos por técnicos e pessoas despreparadas que não tem a mínima capacidade de elaborar um texto jornalístico, se posicionar diante de uma câmera ou fazer uma locução em uma rádio.

Não sou jornalista, mas entendo a necessidade de uma formação adequada para qualquer tipo de atividade que se pretenda desenvolver, logo, tal decisão é apenas uma forma de pressionar os profissionais e de arrochar salários.

Decepciona-me e me causa vergonha que aqueles que deveriam ter a imparcialidade e o discernimento para não se deixar levar pela manobra daqueles que temem uma impressa séria e comprometida com a verdade tenham decidido dessa forma. Parafraseando um anônimo que comentou acerca do tema no site do Estado de São Paulo: “Seguindo a mesma premissa observada por nosso Egrégio Supremo Tribunal Federal, sou advogado e sinto-me ameaçado, pois o mesmo direito constitucionalmente garantido à informação e à liberdade de expressão é previsto, também, ao acesso à justiça e ao direito à ampla defesa. OS SENHORES NÃO ACHAM QUE TAL DECISÃO ABRE UM PRECEDENTE PERIGOSO ?”. É a justiça referendando a falta de qualificação.

Read Full Post »

Não, ainda não houve anúncio de aumento nas passagens dos coletivos em São Luís. Porém deve-se notar que entre greves, processos judiciais e paralisações outras, não sabemos o que é um reajuste do serviço de transporte público há sete anos. Mérito dos políticos bonzinhos do Maranhão? Ou obrigação deles de fato? A realidade é que esses sete anos não foram de tranquilidade no esforço da prefeitura em manter as passagens no seu preço atual. Dentre propostas de investimento no sistema de bilhetagem eletronica para coibir fraudes e redução de alguns impostos, as empresas têm segurado, em certo ponto a contragosto, o pretendido aumento. De certa forma, a situação foi lucrativa para ambas as partes, afinal as empresas receberam incentivo fiscal e a prefeitura segurou um “levante popular” nas palavras do procurador geral do município da gestão anterior.

Foi noticiado recentemente que há uma luta que tem se arrastado, e permanece sem definição, entre os funcionários e as próprias empresas de transporte público. Além do velho pedido de reajuste salarial e de ticket alimentação, eles querem ampliação do plano de saúde a seus dependentes. As empresas, por outro lado, querem que metade do plano de saúde seja pago pelos empregados, e obviamente fogem do reajuste salarial de seus empregados. O procurador regional do trabalho elaborou uma proposta de reajuste salarial e de tickets alimentação em 6% e a manutenção do pagamento integral dos planos de saúde pelas empresasa seus funcionários. A proposta parece ter sido bem recebida pelas partes, que ainda discutirão possíveis aplicações e alterações do proposto, antes de irem à próxima audiência que está marcada para a próxima segunda na Procuradoria Regional do Trabalho.

Na declaração dada pelo presidente do Sindicato das Empresas de Transporte de Passageiros (SET) de São Luís, José Luís Medeiros, ao portal imirante, surgiu aquela velha questão empresarial: evitar greve e “discutir como vão fazer para garantir o pagamento”.

Nestes novos tempos de prefeitura, com tão pouco tempo ainda de mandato do nosso novo prefeito, não se sabe direito o que se esperar em termos de esforços para conter o levant… ops! o aumento das passagens. O jogo parece ter sido este durantes os sete anos: funcionários fazem greve, empresas dizem que não têm como pagar, prefeitura segura como pode. Mas a pergunta que não quer calar: as passagens desta vez vão aumentar?

Read Full Post »

*=

*=

E finalmente o prefeito João Castelo percebeu que São Luís está numa situação de emergência. As chuvas deixaram e tem deixado a população sozinha, como de costume, num caos. Mas não, não comemore. A situação de emergência decretada só serve pra que ele faça contratos sem licitação.

O divertido nisso tudo é a briga dele com a vice-prefeita, Helena Duailibe. Recentemente demitida e informada do fato pela imprensa, a ex-Secretária da Saúde briga abertamente devido a suas “convicções políticas” e pede clemência atacando o prefeito:

– “O ódio, o rancor, o sentimento de vingança, esses sentimentos atrasados precisam ser banidos por parte das pessoas que conduzem a política no Estado”, tadinha.

Ambos, o Prefeito e a Vice, são parte fundamental da história triste que mantém São Luís na emergência em quase tudo há muito tempo. E essa rixa só serve pra dividir o [burro] eleitorado e eleger os dois pra seja lá o que for.

Mas há sim o que se comemorar e talvez isso que de fato preocupa os políticos da cidade. As bobinas de papel, onde são impressos os jornais, estão presas na enorme fila de caminhões da BR 316, viva! Todos agora numa corrente de fé para que as bobinas não cheguem e a cidade fique livre, nem que seja um diazinho desses jornais.

Read Full Post »

garotas de programaAo se preparar para as comemorações do 6º Dia da Vitória [dia que insiste em relembrar a vitória russa sobre as forças nazistas da Segunda Guerra Mundial], a Rússia põe em prática os planos promulgados por Putin desde 2006: recuperação do status de superpotência, modernização do país, bem como a aplicação de um programa ideológico para sua concretização.

O fato é que a Rússia não parece menos estagnada economicamente do que antes, entretanto o programa ideológico segue em frente, apesar de tal país ser um dos maiores concentradores de neonazistas. Triste.  Logo se vê que eles tem muito a aprender com uma remota ilha no Brasil, São Luís, claro. Lá é que há o verdadeiro e bom programa ideológico.

Aparentemente é um proprama desprogramado, sem intencionalidade, mas só aparentemente. A população jogada aos leões assiste aos Césares brincarem de “agora é minha vez” em seus camarotes. Incluído nisso, não-investimentos educacionais e o controle das comunicações internas no picadeiro.

O mais importante do programa ludovicense é a intenção ideológica em incutir a vontade de que cada condenado queira fazer parte da Força, George Lucas ainda tem muito o que aprender. As Guerras Clônicas se mantém, não estranhamente, imutáveis na cidade, a Libertação é falsa e a Guerreira sempre volta. Não há esperança, a população não sabe.

E espera que São Luís se torne, finalmente, a tão sonhada superpotência moderna do país, enquanto o programa ideológico torna a todos cada vez mais programados, só restando fazer programas, assim a população se vende da forma mais eficaz à permanência ideológica dos Césares, Darth Vaders ou seja lá qual for o nome [Sarney].

Fato é que repentinamente o Presidente Luís da Silva é amigo do povo de lá, pura necessidade política [no melhor sentido eleitoreiro] e coincidemente uma ajudinha ao programa ideológico. Os russos também tem ajuda externa, afinal, o Presidente Obama os apoia [e tem medo] em todos os sentidos. Mas nem conta, amigo de todos é amigo de ninguém.

Programa por programa São Luís tem muito o que ensinar à Rússia. Serguei Ivanov, Dacu Perestroika, Roubanovki Lewandovski, Niegromedo Vajisleska, enfim. Parece que os facilitadores da aplicação ideológica russa já estão todos  copiados por lá, falta só alguém traduzir este texto para chamar a atenção dos russos.

Atenção:  Sexta, 11 da manhã, compareçam ao ato público “Abaixo o Sistema” na Praça Deodoro. Levem suas placas.

Read Full Post »

O divino endiabrado em São Luís

O divino endiabrado em São Luís

E finalmente São Luís se conforma em apanhar de Cinturão. A Zona de Convergência Intertropical que parou sobre a cidade castigou brutalmente com o maior volume de chuva no mês de abril dos últimos 24 anos. O Cinturão de Nuvens promete mais ainda em maio.

O  que os ludovicenses enfrentam como consequência é, principalmente, a dissolução do asfalto, causando crateras ao longo de praticamente todas as avenidas de grande circulação. Ilhada em suas casas, a população permanece como geralmente ficam os maranhenses face à tudo: calados.

Se o asfalto dissolve, há de se agradecer por haver algum pra dissolver, pois em muitos bairros não há nem isso. Se chove tanto é puro desígnio de deus ou das forças naturais e em nada está relacionado o Estado. Se estão todos ilhados, pior são os 50 mil desabrigados que perderam suas casas e vidas em outras regiões do Maranhão. E assim a cidade permanece inerte à força do cinturão, reclamando de, no máximo, um pneu ter caído num buraco.

Não, não se sabe o que fazer, mas, provavelmente, enfretar as vicissitudes com toda a redenção típica do cristianismo e da escassez de educação não resolvem nada. Saindo dessa visão de a chuva ser a senteça natural para São Luís, rapidamente se encontram os culpados: Sarneys, Lago, Palácio, Vitorino, Fecury, Murad, Castelo. E muitos, muitos outros sobrenomes, porque pelo menos isso os ludovicenses ainda tem, só sobra o auto-flagelo.

Ou não.

*pra doações aos flagelados pela chuva, dirigir-se aos postos de bombeiro, não dê nada para picaretas na porta da sua casa!

Read Full Post »

Older Posts »